Segunda-feira, 18 de Junho de 2012

Beautiful Liar - Capítulo 2 {Parte 1}

            Aphrodite ainda analisava as notas do pai quando o ecrã começou a piscar e a sua música foi interrompida pelo som de um alarme irritante.

            “Sem alarme sonoro, Jarvis! Quantas vezes tenho que dizer? Começa a música de novo.”, Ordenou enquanto se aproximava da mesa dos hologramas e mandou abrir o ficheiro em alerta. “Eu tenho mesmo que conseguir uma oficina melhor…”, Suspirou, ao aperceber-se de que tinha que dar uns dez passos para aceder a ficheiros externos ao projecto em que estivesse a trabalhar enquanto ao pai bastava-lhe rodar a cadeira. “Jarvis. Lembra-me de remodelar o escritório… hum… No próximo fim-de-semana…”

            “Já está agendado, menina.”

            “Obrigado.” Mais um gole no uísque de Tony e levantou o olhar para ler o ficheiro. “Pára a música, Jarvis.”, Ordenou. Jarvis obedeceu, e acordou Tony.

            Das poucas vezes que Aphrodite mandara a música parar, algo próximo do Apocalipse estava prestes a acontecer, o que levou Tony a programar Jarvis para o informar sempre que a filha repetisse a ordem, mesmo que recebesse ordens para não o incomodar minutos antes.

            Aphrodite bebeu tudo o que restava da sua bebida num gole só e sentou-se. O som do copo a pousar na mesa foi acompanhado do das portas do elevador a abrirem-se. E Tony entrou na oficina a toda a velocidade, ainda de pijama.

            “Que se passa?”, Perguntou.

            “Pai! Não devias estar a dormir?”, Assustou-se.

            “Mandaste parar a música… Que se passa?”

            “Jarvis. Dá-me o ficheiro da Constance, por favor.”

            “Wow! Pôs-te a pedir por favor! Deve ser mais grave do que o que pensei.”

            “Não estou com paciência para as tuas piadinhas.”

            “Que se passa?”

            “Bem…”, Começou, ao levantar-se lentamente e dirigir-se para a mesa onde tinha o ficheiro em questão. Então, abriu uma enorme foto de uma senhora. “Esta é a Constance. Tem 59 anos e foi dada como desaparecida quando eu te estava a ajudar…”

            “É a mãe do Jared?”

            “Sim, e de mais dois.”, Continuou, enquanto abriu fotos dos três. “O meu problema está aí…”, Explicou, fechando a terceira fotografia e aumentando as duas de interesse. “Apresento-te Shannon e Jared, os meus meninos.

            “Meninos?! Eles são quarentões!”

            “Também tu és e isso nunca te impediu de trazeres miúdas pouco mais velhas do que o que eu estou agora cá para casa.”

            “Basicamente, estás a namorar irmãos e a mãe deles desapareceu?”

            “Sim…”, Murmurou, e um novo alerta surgiu.

            “Espera. Como é que tu não sabias que eles são irmãos?”

            “Nunca lhes perguntei o apelido, e nunca quis saber a história familiar. Já me bastava ter o peso de andar com dois, não ia querer as mamãs a pedir netinhos e casamentos. Tenho mais com que me preocupar. Jarvis, abre os alertas todos, já vou ver isso…”

            “Queres fazer uma pausa? Eu posso adiantar-te algum trabalho enquanto descansas…”

            “Descanso não consta no nosso dicionário, lembras-te?”, Sorriu. “Eu estou bem…”, Murmurou, voltando-se para o painel, novamente. “Jarvis, liga ao Jared, por favor…”

            “Com certeza, menina.”

            “Obrigado.”

            “Que vais fazer?”

            “Amor…?”

            “Bom dia, Jay… Acordei-te?”

            “Um bocadinho… Há notícias da minha mãe?”

            “Achas que dá para passares cá por casa?”

            “Claro… Dá-me uma hora…”

            “Estamos a falar da tua mãe que desapareceu. Tens a certeza que não consegues vir em menos tempo?”

            “Vou fazer os possíveis.”

            “Até já.”

            “Amo-te.”

            “Ligação terminada.”, Jarvis anunciou.

            “Eu ia responder!”

            “Não fui eu que me auto-programei para terminar chamadas com determinadas palavras-chave.”

            Aphie suspirou, e foi voltar a encher o seu copo.

            “Tens algum palpite…?”

            “Sim.”

            “E…?”

            “É essa a minha resposta.”

            “Não queres mesmo a minha ajuda?”

            “Estás assim tão curioso?”

            “A minha armadura é sucata, não me importava nada de ter uma distracção…”

            “És sempre o mesmo…”, Suspirou e começou a reorganizar todas as informações no seu painel. “Já percebeste…?”

            “Achas que é uma armadilha?”

            “Tenho a certeza… Quem quer que te atacou hoje apenas o fez para nos distrair. Ela desapareceu nessa altura e… Esta pessoa sabe com certeza que eu iria atrás dela. E se eu vou, tu vens junto… Não bastava saberem as tuas fraquezas, também sabem as minhas…”

            “Quem poderá ser?”

            “Digo-te mais logo. Tu não te vais meter nisto. É a ti que eles querem e eu não estou disposta a oferecer-te de bandeja.”

            “Tenho que te proteger…”

            “Segues-me nisto e eu juro que serei a primeira a atacar-te. Garanto que te deixo a armadura em cinzas. Eu não vou permitir que te metas numa missão suicida. Está fora de questão.”

            “Filha…”

            “Tenho dito!”

            “Sabes que não vai adiantar de nada…”

            “Testa-me.”

            “Aphie…”

            “Sai.”

            “Não.”

            “Vou ter que te obrigar?”

            “Vais.”

            “Jarvis! Põe Celine Dion a passar!”

            “Nem penses que me vais fazer isso!”

            “Mudei de ideias. Jarvis?”

            “Sim, menina?”

            “Lady Gaga.”

            “Com certeza.”

            Bad Romance começou a tocar e Anthony retirou-se.

            “Já podes parar, Jarvis… Chega de tortura. Dá-me AC/DC, por favor… Tenho que trabalhar.”

            “Considere-o feito, menina.”

publicado por GambiiKay ♥ às 01:03
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
GambiiKay
since 2008

mais fanfiction by GambiiKay aqui
contactos